57004cef18f787-70883368

Dicas – Roteiro Gastronômico em Buenos Aires


Olá!

Hoje a nossa dica é da jornalista Juliana Palma do site Destemperados. Ela fez um roteiro gastronômico por uma das capitais mais charmosas da América do Sul.

Aproveite e veja onde comer e beber bem em Buenos Aires. Esperamos que na volta de sua viagem, você tenha trazido na bagagem inspiração para suas receitas.

Você sabe que os acessórios de cozinha estão sempre à disposição na sua loja virtual Smart Cozinha. Confira aqui a nossa linha de produtos.

Boa leitura!

 

Roteiros Gastronômicos: Buenos Aires em 5 dias para iniciantes

 

Para quem nunca viajou a Buenos Aires, na Argentina, a dica é apostar nos clássicos para não errar. Digo isso tanto para a parte turística quanto – e principalmente – para a parte gastronômica. O melhor roteiro para iniciantes é descobrir a cidade de bairro em bairro – digo isso por experiência própria.

Buenos Aires sabe ser tradicional em seus restaurantes, e é incrível conhecer cada um deles. Vá, porém, com a cabeça aberta para conhecer uma parte mais descolada da cidade, como os bares de drinks, afinal a capital argentina é uma das principais referências em coquetelaria na América do Sul, e não dá pra perder a oportunidade de conhecer as criações dos portenhos.

A dica é: aproveite o dia para comer bastante, nos clássicos e tradicionais, e a noite para apostar nas bebidas e conhecer os melhores drinks da cidade.

Para começar, hospede-se no Centro e você terá uma distância relativamente igual para a maior parte das regiões. Comece o roteiro turístico por lá, afinal é onde estão localizados pontos como a Casa Rosada, o Obelisco e o Teatro Colón. Vamos às dicas?

 

DIA 1: CENTRO

Comece o dia com um café da manhã no local mais tradicional de Buenos Aires: o Café Tortoni. O lugar, que funciona desde 1858, é cheio de delícias, a começar pelo chocolate com churros. Mas, pela manhã, o combo que leva o nome da casa basta para dar energia para as andanças que virão: café con leche, tostadas e suco de laranja.

Seguindo na rua do Tortoni, você vai parar na Plaza de Mayo, onde estão a Casa Rosada (sede da presidência), a Catedral Metropolitana de Buenos Aires e o Cabildo de Buenos Aires. Passe pelo Obelisco e pare para um almoço no clássico italiano Broccolino. Uma cesta de pães, um prato de massa com molho bolonhesa e uma garrafa pequena de vinho são as dicas perfeitas para seguir a caminhada. Na volta, uma visita guiada pelo Teatro Colón encanta qualquer um.

Os argentinos costumam fazer tudo mais tarde do que os brasileiros, então não se assuste se esse roteiro entrar tarde adentro. Volte para o hotel, descanse um pouco antes de partir para a noite portenha. Minha dica é apostar nos drinks. Buenos Aires é a capital na América Latina referência em coquetelaria.

Prepare-se para encontrar lá o que você nunca viu aqui. E se é para começar com o pé direito vá cedo ao Florería Atlántico. Digo cedo porque o lugar está sempre lotado, todos os dias. O bar fica bem escondido, na parte de baixo de uma floricultura. Basta chegar e a atendente mostra o caminho. Sente no balcão (sempre) prepare-se para drinks espetaculares como o Wake Up Julep, com Jameson, limão, hortelã, geleia caseira de laranja e lavanda.

 

DIA 2: RECOLETA

Provavelmente, depois de uma noite com vários drinks você vai acordar relativamente tarde. Vá direto para o almoço, no Centro mesmo. Desta vez em um lugar bem conhecido dos locais e longe do holofote dos turistas: El Nacional. A dica desse restaurante recebi da minha querida amiga Sara Bodowsky, editora do Roteiro da Sara e uma apaixonada por Buenos Aires. Localizado na frente do Colégio Nacional, tem comida saborosa e preços acessíveis, além de estar sempre lotado de estudantes e pessoas que trabalham pela região. Minha dica? Bife de chorizo com fritas!

Em seguida, o destino é a Recoleta. Prepare-se para caminhar pelos pontos turísticos: Cemitério da Recoleta (onde está o túmulo de Evita Perón), Igreja Nuestra Señora del Pilar, Museu Nacional de Belas Artes. Entre um e outro, pare para tomar um café no escondidinho Florencio Bistro & Patisserie, dica preciosa da nossa food hunter Amanda Mormito, que morou por um tempo na capital portenha. O lugar é pequeno e querido, com um balcão de doces de encher os olhos. Sente-se, peça um café e escolha sua opção preferida – eu fui direto na torta de chocolate com recheio de doce de leite. E como não?

 

 

Na volta para o hotel, separe um tempinho para conhecer a linda e famosa livraria El Ateneo Grand Splendid. Na saída, passe na sorveteria Un’Altra Volta que fica quase ao lado. Helados artesanais deliciosos. Sugestão de sabor? Dulce de leche granizado, óbvio!

À noite, a sugestão é seguir pelas proximidades do Centro. Vá conhecer os drinks do Gran Bar Danzón, só cuide para não se encantar tanto e correr o risco de trocar o dinheiro do jantar pelos drinks. Sente no balcão cheio de luzinhas e experimente coquetéis como o Let it Bleed, que leva Bacardi Gold, pomelo, xarope, Angostura e um toque de vinho Malbec (que vai afundando pelo drink enquanto você bebe).

 

DIA 3: PALERMO

Palermo é o reduto dos bares e restaurantes em Buenos Aires. Se o seu foco não for exatamente turismo e, sim, comer e beber bem, a minha sugestão é se hospedar por lá e aproveitar tudo o que o bairro tem a oferecer.

Comece o dia na Cocu Boulangerie, um pedacinho da França em plena Argentina. Peça o café da manhã no balcão, escolha sua mesa e aguarde. O Desayuno Cocu vem com uma cesta de pães diversos muito saborosos (me apaixonei pelo croissant), suco de laranja e o café con leche.

Aproveite o bairro para visitar a parte que envolve a natureza, como o Zoológico, o Paseo El Rosedal (melhor na primavera) e oJardín Japonés, com recantos que parecem pinturas. O bairro é muito grande, então dessa vez talvez não seja possível fazer tudo caminhando. Para repor as energias, almoce no clássico El Preferido de Palermo. Um bodegón súper simples que serve uma das melhores milanesas que já comi. Então já sabe: milanesas, fritas e uma Quilmes bem gelada.

Caminhe pelas ruas tranquilas, conheça as lojas e faça umas comprinhas. Na hora do jantar minha única sugestão possível é o Nicky NY Sushi, um dos melhores japoneses que já tive a oportunidade de experimentar. Você vai comer sushis, mas a sua intenção mesmo é provar os drinks. Peça discretamente à atendente que te leve até o bar, The Harrison Speakeasy e se surpreenda com a experiência que vem pela frente. Um dos mais incríveis bares de drinks da cidade. Você até pode tirar fotos dos drinks, mas o bar é tão escondido com sua vibe proibida, que se enxergarem você com uma câmera, vão pedir para parar. O Malbec Style é uma ótima opção: vinho Malbec, suco de limão, cascas cítricas, gengibre, Angostura e redução de frutas vermelhas.

Já que você está nos bares, por que não entrar a noite percorrendo alguns deles? Você já deve ter percebido que os bares têm um quê de parecerem escondidos, e o Victoria Brown não é diferente – a parte da frente é uma cafeteria/confeitaria e a parte dos fundos fica por conta dos drinks. Experimente o La Provence, com gim macerado com lavanda, mel e suco de limão. Perfumado que só.

Um pouco mais distante, mas não menos inspirador, o Frank’s é perfeito para encerrar a noite. Mas atenção: você vai precisar de uma senha para entrar, que pode ser desvendada a partir de posts semanais na página do bar no Facebook. Infelizmente não lembro os nomes dos drinks que bebi lá, mas sente no balcão e converse com os bartenders para conseguir as melhores dicas.
DIA 4: VILLA CRESPO

O bairro é conhecido pelos inúmeros outlets e pelas lojas que vendem artigos de couro. Se a intenção é essa, seu destino é lá. Mas se a vontade também for de conhecer bons restaurantes a preços acessíveis, seu lugar também é o Villa Crespo. Além de, claro, caminhar pelas ruas e curtir um passeio encantador.

Comece pelo café da manhã no Malvón, uma padaria aconchegante e com decoração carinhosa. Café con leche, torrada de presunto e queijo e um copo de suco de limão. Prove também o muffin de chocolate.

O almoço pode ser bem barato no Salgado Alimentos um bodegón especializado em massas que está sempre cheio de pessoas que moram ou trabalham pela região. Uma cesta de pães e um prato de sorrentinos de jamón, queso y verdeo con mixta e tá feita a alegria de quem está louco de fome.

Encerre o dia no balcão do bar 878 (Ocho Siete Ocho). Todos os bares estão sempre consideravelmente lotados, e, se você não pretende reservar lugar, opte sempre pelo balcão, que reserva sempre as melhores experiências, na minha opinião. O Cynar Julep – com Cynar, hortelã, açúcar e suco de pomelo – vai ser um dos drinks memoráveis da viagem, vai por mim.
DIA 5: SAN TELMO E PUERTO MADERO

Tente fazer com que o dia de visitar San Telmo caia num domingo, para que você possa conhecer a tradicional Feira de San Telmo. Cuide seus pertences pessoais e atravesse a Calle Defensa de ponta a ponta, desde a estátua da Mafalda, criada pelo cartunista argentino Quino, até La Panaderia de Pablo. Chegando lá, peça pelo Desayuno Americano: café, suco de laranja, ovo, bacon e um pãozinho para acompanhar.

Barriga cheia, caminhe um pouco mais pela feira e depois atravesse o bairro até Puerto Madero, um bairro moderno e bem diferente do restante da cidade, com prédios imponentes que destoam da arquitetura portenha. É um belo passeio, porém. Vários restaurantes ficam enfileirados de uma ponta à outra da parte que margeia o Rio de la Plata. A dica é um almoço bem tardio no Happening, casa de parrilla argentina. Tente não cair em tentação com a cesta de pães e aposte no bife de chorizo com fritas, acompanhado de um bom Malbec argentino. Depois, atravesse a Puente de la Mujer e acompanhe o pôr do sol sentado nos bancos ou em um dos cafés da margem oposta.

Eu não consegui jantar depois desse almoço tardio, mas experimente o Parolaccia Trattoria (outra dica da Amanda Mormito).

Fonte: site Destemperado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *